God of War 2

Relacionado a qualquer tipo de jogo e plataforma. Tutoriais, reviews, dicas, entre outros.
Responder
Decon
Moderador Global
Mensagens: 5470
Registrado em: Qua Ago 30, 2006 6:55 pm
Contato:

God of War 2

Mensagem por Decon » Sex Jun 01, 2007 8:52 pm

A mitologia grega sempre teve deuses impiedosos e até maléficos. A própria história da criação do universo e dos deuses é cheia de assassinatos, violência incesto e outros aspectos anti-éticos, isso sem contar quando os deuses resolviam atormentar a vida dos humanos.O general espartano Kratos é não é exceção. Obcecado por sua sede de conquistas, acabou se submetendo à vontade de Ares, o deus da guerra, para ser mais forte, o que ele conseguiu, mas pagando com sua própria sanidade. Em God of War, o anti-herói enfrentou seu antigo "benfeitor" e tomou o lugar de divindade da guerra. Porém, ele ainda estaria longe de alcançar sua redenção.

Sequência direta do God of War original, lançado em 2005, Divine Retribution coloca Kratos frente à frente com adversários ainda mais perigosos: as três Moiras, ou irmãs do destino. Segundo a mitologia grega, as três irmãs Clotho, Lachesis e Atropos detinham o controle do destino, tanto dos humanos quanto dos deuses. Inconformado por não conseguir se livrar dos pesadelos que assombram sua vida, mesmo depois de ter se tornado o deus da guerra e teoricamente ter sido perdoado pelas divindades do Olimpo, Kratos decide deixar o seu trono e voltar à luta, para se vingar de seus novos "irmãos" e mostrar que pode controlar sua vida por si só.

De acordo com a equipe de produção, Divine Retribution manterá o nível de ação que marcou God of War como um dos lançamentos mais consagrados da história do PlayStation 2, mas com alguns elementos melhorados, principalmente no que diz respeito à troca de armas e interação das magias com ataques normais. Um dos objetivo dos desenvolvedores, por exemplo, é que o jogador possa começar um combo, jogar o inimigo ao ar, e conseguir trocar de arma rapidamente antes que ele caia, para continuar os ataques de forma ainda mais devastadoras. As magias também terão acesso mais simples, e usadas de forma que se encaixem melhor nessas seqüências de ataque. Assim como no primeiro jogo da série, Kratos conta com suas fiéis Blades of Chaos - as espadas flamejantes presas em seus braços por correntes como armas principais, tendo novas habilidades e golpes a se aprender. Porém, novas armas e habilidades estão presentes no novo God of War, juntamente com novos desafios a se enfrentar: monstros clássicos da mitologia grega como os minotauros, os grifos e os cérberos estão presentes, mais aterrorizantes do que nunca. God of War 2 ainda manterá os diversos quebras-cabeças presentes no primeiro jogo.O jogador deve aprender a pensar como Kratos para poder avançar em determinadas áreas, mesmo que isso signifique se mostrar cruel e impiedoso, à semelhança da cena onde o “herói” devia queimar vivo um soldado que estava preso dentro de uma gaiola. Os diversos minichefes e batalhas “especiais” - que necessitam que o jogador entre com certos comandos em momentos específicos do combate também estarão de volta.

Divine Retribution conta a segunda parte de uma história ainda maior. No primeiro jogo Kratos conquistou os desafios terrenos e garantiu um lugar entre os deuses. Agora, o antigo general espartano irá desafiar os próprios deuses, representando toda a ira dos humanos contra a injustiça dos seres do Olimpo. Se as melhorias e ajustes feitas em God of War 2 tornarem o jogo um sucesso ainda maior que seu antecessor, o PlayStation 2 receberá um lançamento que marcará com chave de ouro a transição dessa para a próxima geração.

Screens:

Imagem
Imagem
Fontes:Uol games, gameTV.
Editado pela última vez por Decon em Sáb Jun 09, 2007 2:43 am, em um total de 1 vez.

frezend1
Super Membro
Mensagens: 912
Registrado em: Qua Mar 14, 2007 1:31 pm

Mensagem por frezend1 » Ter Jun 05, 2007 7:55 pm

UAU......

FALAM ÓTIMAMENTE BEM DO PRIMERO...IMAGINA O SEGUNDO....
se sobrar grana eu compro...

crauser
Membro (Major)
Mensagens: 372
Registrado em: Seg Dez 25, 2006 3:08 am
Maker Preferido: Rpg Maker 2003
Localização: Porto Alegre RS

Mensagem por crauser » Qua Jun 06, 2007 1:51 am

vi um camarada meu zerar esse jogo uns dias atrás mtu bom esse jogo os graficos são mtus bons acho que esse jogo awe eh um dos melhor para PS2 de 2007.
A corrida para a excelência não tem linha de chegada.

O sucesso tem feito o fracasso de muitos homens.

O sentido da vida consiste em que não tem nenhum sentido dizer que a vida não tem sentido.

http://www.holy-war.net/?ref=17866-1PTHW

frezend1
Super Membro
Mensagens: 912
Registrado em: Qua Mar 14, 2007 1:31 pm

Mensagem por frezend1 » Qua Jun 06, 2007 1:21 pm

foi isso que ouvi....
esse eu ainda compro...deve ser animal. :byebye:

Decon
Moderador Global
Mensagens: 5470
Registrado em: Qua Ago 30, 2006 6:55 pm
Contato:

Mensagem por Decon » Qua Jun 06, 2007 7:44 pm

Com certeza, eu vou comprar um dia tambem :happy:, historia, graficos...Não é a toa que esse jogo é considerado muito bom.

Avatar do usuário
Killer Ghost
Administrador
Mensagens: 10338
Registrado em: Sáb Nov 19, 2005 8:49 pm
Maker Preferido: Outro
Localização: Saint Paul
Contato:

Mensagem por Killer Ghost » Qui Jun 07, 2007 1:22 am

Eu vou esperar sair a Rom do GameBoy.
A Casa do Maker está de volta. :happy:

Projetos:
Rpg Maker VX Ace:
Student Adventures ACE 21%

Rpg Maker MV:
As Crônicas do Fim do Mundo 44%
Casa do Maker - O Retorno 1%

Decon
Moderador Global
Mensagens: 5470
Registrado em: Qua Ago 30, 2006 6:55 pm
Contato:

Mensagem por Decon » Qui Jun 14, 2007 9:08 pm

hehehehe, vai sair pra PSP serve? :byebye:

Valariz
Super Membro
Mensagens: 1319
Registrado em: Sáb Mai 20, 2006 9:14 pm

Mensagem por Valariz » Sex Dez 28, 2007 12:03 am

Estou com esse jogo aqui, eu já ia fazer um tópico sobre esse jogo mas parece que já tem. O jogo é realmente ÓTIMO, mas muito sangrento e tem partes de nudez e insinuações sexuais. Mas quem liga? Enfim, tem como fazer upgrades e tudo mais, além da história cheia de como você diz, assassinatos e etc. Recomendo o jogo.

juninhu15
Membro (General)
Mensagens: 553
Registrado em: Sex Dez 07, 2007 8:07 pm
Maker Preferido: Rpg Maker 2003
Localização: Americana

Mensagem por juninhu15 » Sex Dez 28, 2007 7:34 am

Jogabilidade: 10
Gráficos: 10
Áudio: 10
Diversão: 9.5
Desafio: 9.5

Nota Geral:9,8
Classficação: Espetacular

Prós:

A jogabilidade é insuperável, com comandos fáceis para quem está começando, ao mesmo tempo que apresentando combos complexos aos mais experientes. Há novas armas e magias que garantem uma nova experiência àqueles que já jogaram o primeiro God of War. Tudo que já era bom foi melhorado.



Contras:

A fórmula e a mecânica de God of War são as mesmas de seu antecessor; o jogo não é tão impactante quanto o título anterior.
.

Kratos está de volta para se vingar dos deuses.
Há algum tempo a nova geração de consoles vem sendo o centro das atenções dos jogadores, que buscam essencialmente games com qualidade gráfica superior e que ofereçam maior diversão. Jogos como Gears of War e Crackdown fazem parte do grupo dos favoritos da atualidade, levando os elementos já conhecidos de ação em terceira pessoa a patamares nunca vistos antes.

Há dois anos atrás, em plena época de hegemonia do PS2, God of War estreava no console, cumprindo o mesmo papel que estes jogos cumprem atualmente. O game trazia uma jogabilidade intuitiva e voltada ao combate, ao mesmo tempo que adicionava puzzles interessantes e elementos de jogos de plataforma. Nenhuma novidade, senão a junção de tantos elementos a um enredo fascinante, uma estética de impressionar e uma jogabilidade ótima; a soma resultou em uma fórmula de sucesso.

Agora, em tempos que a luz do antigo console da Sony está quase ofuscada por completo em meio às novas tecnologias, um título o faz brilhar mais uma vez no universo estrelado dos games: o tão esperado God of War 2.

O jogo traz exatamente a mesma fórmula e mecânica de seu antecessor. Para quem não conhece, GOW 2 é completamente inovador, contando um enredo incrível, um protagonista indecifrável, jogabilidade intuitiva, inimigos mitológicos colossais e muita ação. Já aqueles que passaram um tempo com a primeira versão da série agora têm à disposição um novo enredo, novos golpes, recursos, inimigos e quebra-cabeças. Tudo aquilo que já era bom está ainda melhor.

A vingança do deus da guerra

A história de God of War 2 sucede os eventos ocorridos na primeira trama. Após derrotar Ares, Kratos — o anti-herói protagonista da série —, assumiu o cargo de deus da guerra no Olimpo, resultando na ascensão de Esparta, sua cidade de origem. Como deus, o espartano liderou seu exército pela Grécia, tomando cidade após cidade, instalando caos e destruição por onde passava. Sua atitude estava causando descontentamento aos deuses.

Mas, após um aviso prévio de Atenas, ao qual Kratos não deu atenção, ele é traído pelos deuses. Então, seus poderes são roubados, tornando-o novamente um mero mortal. Com a ajuda de Gaia, o espartano deve então se vingar dos deuses que o traíram.

Apesar de God of War 2 não ser um título focado no enredo, a história do jogo é bastante interessante e inclui ainda mais elementos mitológicos que o seu antecessor, como Ícaro e suas asas, o cavalo alado Pégasus, o herói Perseu e o colosso de Rhodes. Além disso, personagens do primeiro game estão de volta, como Atenas e o guerreiro bárbaro derrotado por Kratos, por exemplo.

Batalhas brutais

A fórmula básica que se consolidou na primeira versão da franquia está de volta sem muitas alterações; o jogo ainda é bastante focado no combate. A mecânica é muito parecida também, e a maior parte das batalhas deve ser vencida através de combos e comandos específicos para o contexto, além de ataques mágicos.

Após perder seus poderes de deus, Kratos fica com um leque escasso de combos e ataques. Para conseguir combinações maiores e mais eficientes, você deve coletar pontos de experiência e adicioná-los às suas armas. O mesmo pode ser feito para melhorar os ataques mágicos, que são conquistados ao longo do game.

Entre as novas armas que podem ser utilizadas pelo espartano estão as Blades of Atenas (idênticas às Blades of Chaos, do primeiro game), o Barbarian Hammer (martelo gigante que desfere ataques bastante poderosos, apesar de lentos), a Spear of Destiny (lança de ataques rápidos) e a Blade of Olympus (poderosa espada na qual Zeus aprisiona os poderes de Kratos). A arma original funciona basicamente da mesma forma que a de God of War, contando com ataques e combos muito parecidos e, em alguns casos, idênticos.

Há também novas magias: Typhon's Bane (arco que dispara flechas mágicas), Cronus' Rage (ataque elétrico a mais de um inimigo simultaneamente), Head of Euryale (transforma os inimigos em pedra) e Atlas Quake (ataque que atinge tudo a sua volta). O Poseidon's Rage está de volta, mas apenas no início do game, antes do protagonista perder seus poderes.

O Rage of the Gods, recurso disponível no primeiro game, também voltou, no entanto com outro nome: Rage of the Titans. Assim como o Rage of the Gods, o novo recurso só pode ser usado se a barra situada no canto inferior direito da tela estiver completa, e funciona bem em casos nos quais o jogador está prestes a morrer ou enfrenta um inimigo muito resistente a ataques comuns.

Para completar sua energia, magia e experiência, você deve coletar pontos respectivamente verdes, azuis e vermelhos chamados orbs, que podem ser encontrados em baús ou após derrotar seus inimigos. Desta vez há também orbs amarelos, que completam a barra do Rage of the Titans, e tornam o uso do recurso mais freqüente.

A era da guerra

Mantendo a tradição, os combates são o ponto principal do jogo; e God of War 2 literalmente leva-o diretamente ao ponto. A ação impera do começo ao fim, com pequenas pausas para respirar enquanto se resolve os quebra-cabeças ou se explora o cenário. Por conta disso, os combos e magias são essenciais, assim como saber usá-los de maneira correta e aliados a uma boa esquiva.

Inimigos como minotauros, ciclopes e medusas, que não raro enfrentavam Kratos, continuam rendendo batalhas violentas. Não é preciso dizer que a violência é eminente no game, mas vale ressaltar que ela está mais presente que antes; uma grande quantidade de sangue jorra desde os combos até as clássicas cenas de finalização através de controles de contexto.

As finalizações, que já eram agressivas, agora estão ainda mais brutais. Em certos casos, quando um inimigo está tonto ou fraco, uma indicação com um comando aparece sobre a sua cabeça; é o sinal de que você pode realizar um comando de contexto. Estas ações culminam em um ataque em corrente, que exige do jogador muita atenção para apertar os botões mostrados na tela e continuar a combinação com êxito. Ao finalizado, o ataque geralmente rende um olho arrancado ou uma cabeça decepada. Em determinados casos, entretanto, o recurso apenas causa um pouco mais de dano ao oponente.

Grandiosidade artística

Há algum tempo não se ve evolução gráfica em jogos do Playstation 2, e por motivos óbvios: a plataforma já está ficando ultrapassada, e provavelmente já tenha atingido seu limite nos aspectos técnicos. God of War 2 prova que é possível mesmo assim superar as expectativas. Os gráficos do game são muito bons para um jogo de PS2, e os elementos mitológicos, que foram muito bem desenhados e reproduzidos, um show a parte.

O aspecto artístico do jogo é de fazer cair o queixo, agregando diversos elementos mitológicos da Grécia antiga aos cenários e inimigos, que são em grande parte colossais e muito bem desenhados. Logo de cara, o jogador é surpreendido pela imensidão dos ambientes e a quantidade de detalhes. Pode-se dizer o mesmo dos chefes, tendo em vista que muitos deles são gigantes e chocam logo à primeira vista.

A trilha sonora está no mesmo patamar da qualidade gráfica do game. Ela é completamente orquestrada, contando, inclusive, com um coral para anunciar as partes mais emocionantes do jogo. Possuir música intensa quando se precisa de música e amenizá-la ou até interrompê-la quando necessário, é uma qualidade quase insuperável atualmente, e God of War 2 o faz com perfeição.

A lista de atores que emprestaram as vozes aos personagens mitológicos do título possui nomes que são referência em jogos de videogame, todos eles cumprindo muito bem seus papéis. Um fato curioso é que Harry Hamli, que atuou como Perseu em Fúria de Titãs (1981), faz a voz do mesmo personagem em God of War 2.

O último de uma geração

Poucos jogos atuais tem tamanho brilho e destaque quanto God of War 2 — mesmo os de nova geração. Nada mais pode mudar o fato de que o título é o melhor dos últimos tempos no PS2, ou talvez até o melhor game já lançado para o console. O game compete acirradamente com os títulos de maior tecnologia na atualidade, mesmo sendo limitado pela capacidade do segundo console da Sony.

No entanto, o impacto que o primeiro game da série trouxe dificilmente vai ser superado novamente. A seqüência apresenta os mesmos elementos e fórmula melhorados, e tudo que era bom está ainda melhor. No entanto, o choque que o game original causou em 2005 foi em dose única. A despeito disso, os produtores aumentaram a dimensão dos cenários, fizeram da violência ainda mais intensa e adicionaram muitos inimigos, tudo para proporcionar um impacto positivo, tanto aos novos jogadores quanto aos experientes na franquia.

Juninhu15:
Joguei ele ontem sem nem saber que era ele , só reconheci pelas screens que achei na Net , ele é MUITO³ sangrento mais como o Valriz disse , quem liga?Eu gostei do jogo , achei bem elaborado comandos facéis e nada entediante.


Imagem

Imagem

Imagem

Imagem



Fonte: BaixakiGames
Imagem

Responder